Gestão de riscos no Campo: é melhor prevenir, que remediar.

Tempo de leitura: 3 minutos

0 Flares Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Diversos são os problemas que podem afetar o agronegócio no Brasil. Por exemplo, o escoamento da produção ainda é um dos maiores já que somos muito dependentes de rodovias e falta investimentos em ferrovias e hidrovias que poderiam oferecer um custo de transporte mais barato, uma redução de valor que seria passada ao consumidor.

Além desse problema, existem vários outros e muitos deles podem ser controlados de forma interna, ou seja, pelo próprio produtor. Nesse caso, a gestão de risco no campo possui um papel fundamental.

Imagem relacionada

O que é gestão de risco?

A gestão de risco é quando uma pessoa ou um grupo de pessoas cria uma série de estratégias nos mais diversos setores com uma finalidade. Esses esforços devem ser direcionados para um único objetivo que, normalmente, é identificado como um possível problema.

Nesse caso, o problema ainda não aconteceu, mas pode vir a acontecer e é aqui que entra a gestão de risco: criar estratégias para evitar que o problema se instale. Assim, podemos considerar essa gestão um conjunto de estratégias com a finalidade de prevenir um mal maior no mundo dos negócios, neste caso, no agronegócio.

A partir desse conceito podemos interpretar a seguinte informação: toda empresa precisa de um gestor de risco e no campo isso não é diferente. Afinal de contas, há problemas típicos de cada setor da economia e que precisam ser devidamente geridos para evitar males futuros. Para ser um bom gestor de risco é preciso ter um conhecimento amplo no assunto.

Como funciona a gestão de risco no campo?

Vamos tomar como exemplo o problema que foi citado no início deste texto: o escoamento da produção. É uma dificuldade que não pode ser resolvida de forma interna, afinal de contas, oferecer mais recursos para as ferrovias e hidrovias é função do governo. Porém, é possível se adaptar a essa realidade e evitar maiores custos que tragam grandes prejuízos financeiros.

Nesse caso, o gestor de risco deve começar a pensar em como resolver esse problema é criar estratégias. Por exemplo, uma opção pode ser otimizar as rotas para que assim o gasto com combustível seja menor.

Outro problema pode estar relacionado aos agrotóxicos utilizados na plantação. Estamos percebendo que há uma tendência da população para o consumo de produtos orgânicos. Então, o gestor de riscos deve evitar que as vendas da empresa caiam por causa dessa mudança nos hábitos do consumidor e traçar estratégias para garantir o lucro.

Assim, o gestor de risco no campo deve, em primeiro lugar, identificar os possíveis problemas e também as tendências de mercado, além de outros dados que sejam relevantes para o produto que seja vendido pela empresa. Com essas informações em mãos ele deve traçar o plano e deve também pedir que todos participem e contribuam com informações mais relevantes para o negócio.

Assim, aprender mais sobre gestão de risco no campo é fundamental para garantir uma gestão eficaz do negócio e assim, esse profissional é bastante requisitado. Invista em uma boa especialização na área com um curso que possa oferecer com maior especificidade todos os conhecimentos que você precisará para se tornar um profissional de sucesso.

Saiba mais sobre as áreas relacionadas ao agronegócio e veja como o empreendedorismo e a inovação tecnológica estão mudando os rumos no campo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *